Home
Quem Somos Contato O Anel
-

quinta-feira, abril 08, 2010

O Dia em que fui Rei !


Desde que me conheço por gente sempre dormi na posição errada. Esse mau hábito, somada a uma vida sedentária e ao peso de cases de pratos de Bateria, estourou minha cervical. Fui parar no médico que me ensinou a dormir, coisa que eu acreditava ter aprendido com minha mãe. É assim: todo ser humano deve deitar de lado, com a cabeça apoiada em um travesseiro compatível com a largura dos seus ombros, para que a coluna fique o mais reta possível. E mais, deve usar um travesseiro entre as pernas e outro para abraçar, a noite toda. As mulheres odeiam ....kkk E tente Explicar que é uma recomendação médica, não tem jeito ela vai continuar desconfiada.
O homem é um bicho todo errado. Como é possível que um animal precise de 3 travesseiros para dormir? Eu olho pra natureza e não vejo esse tipo de frescura na nossa fauna. O leão joga seu corpo sobre a relva, o macaco se acomoda num galho, o pepino do mar e a baleia ficam boiando. Tem até bicho que dorme em pé, como é o caso do cavalo. Não consigo entender. Alguma coisa deve ter saído errada conosco.
Outro detalhe fundamental na arte de bem dormir é a escolha do colchão certo. Para cada corpo, há uma densidade recomendada. Como é que eu vou explicar isso para cada recepcionista de hotel em que me hospedo? A tempos atrás , em Curitiba, eu pedi um travesseiro antialérgico e a garota falou que só tinha de pena de ganso. Cheguei no quarto e notei que a altura do travesseiro e não combinava com as minhas medidas. Sentei na cama e o colchão era muito mole. Desci até a portaria e pedi para chamar o gerente. Mostrei minha ressonância magnética e as recomendações médicas. Falei pra ele que aquele hotel era incompatível com meu corpo. O sujeito ficou atordoado, sem saber o que fazer. Para compensar, me ofereceu como cortesia a suíte Presidencial, onde supostamente deveria haver tudo do bom e do melhor. Fui transferido como um rei para a imensa cobertura e, além da tradicional cesta de frutas, mandaram por conta da casa uma garrafa de pró seco. Para alegria de toda a equipe.
Depois de instalado, notei que a cama era ainda mais mole e tudo afundava, especialmente minha coluna vertebral. Os travesseiros eram tão leves e fofos que devem ter sido feitos com as penas de algum ganso descendente de uma linhagem especial, criada a pão-de-ló nos jardins do Palácio de Versailles.
Pelo avançado da hora, desisti de reclamar. Tomei um anti-inflamatário e fui dormir. Pelo menos eu teria uma noite de rei.
kkkk .... Mas é claro, tive uma noite péssima. Acordei na manhã seguinte, cheio de dor, pensando que vida de rei não deve ser tão fácil assim. O cara é obrigado a dormir numa cama que afunda, com os travesseiros mais macios do mundo, quando a ciência recomenda densidades e medidas específicas para colchões e travesseiros. Mas os vassalos, que só dominam a ciência de puxar o saco do rei, ignoram as opiniões científicas. Só querem saber de tornar a vida de Sua Majestade o mais agradável possível. E para eles, agradável é sinônimo de “coisa fofa”. Talvez por isso alguns reis sejam lembrados mais como uma “coisa fofa” do que por seus feitos históricos.
Nós, os simples mortais, temos experiências de vida que a realeza nunca vai ter. Por exemplo, dormir num colchonete jogado no chão. Por estranho que possa parecer, isso faz bem pra coluna. Claro, algumas de nossas experiências da juventude não devem ser repetidas na maturidade, como dormir no banco de trás de um gol 98. Com a namorada.
Não há registro nem citações históricas a respeito das colunas cervicais da realeza. Muito menos que algum tenha dormido dentro de um gol. A saúde desse pessoal é mantida como segredo de estado. Eles se consideram semideuses, um tipo de gente com atributos divinos. Vai ver que é essa a diferença: os caras são tão especiais que podem até dormir nessas condições fofas, sem afetar a cervical, a lombar e o resto das vértebras. Se é que eles têm vértebras.
Nós, a plebe, temos que seguir as orientações médicas para conseguir sobreviver. Não temos direito a frescuras. Nosso corpo não agüenta. Somos fisicamente incapacitados para as benesses da realeza.
A boa vontade do gerente em me colocar na suíte presidencial, apesar de bem intencionada, teve resultados catastróficos. No dia seguinte acordei todo torto, com o pescoço duro. Aquilo detonou uma crise que durou dias. Para cumprir meus compromissos profissionais, tive que continuar viagem com bolsa de gelo no local e caixas de remédios.
Tudo bem. Valeu a pena. Pelo menos por uma noite dormi como um rei. Tive sonhos tão extraordinários que pareciam um filme de época: um baile da corte, uma rainha deslumbrante, bailarinas seminuas, frutas, vinhos... E mais não conto pra você não pensar que eu estou mentindo.

2 comentários:

desinhamaciel disse...

Adorei o texto, mas fala sério!!!! Arco com todas as conseqüências do mundo só pelo prazer de dormir de qualquer jeito, de costas, de lado, escolhida, largada,se for num colchão bem fofinho melhor ainda e se for mais que 5 horas por noite então, nem se fala!!!! Que venham as escolioses, lordodes e todas as oses possíveis, o que eu quero é dormir!!!!

Yuri Steinhoff disse...

Kkk.. sobre coisas ditas "fofas" tu és rei , meu amigo!!!