Home
Quem Somos Contato O Anel
-

sábado, dezembro 20, 2008

Balanço Geral




Todo ano ela faz tudo sempre igual
... Claudia gosta de receber os amigos, e quando chega a época de Natal a turma se reúne na casa dela. Na casa do Fernando Martins a mesma coisa, uma oportunidade para rever os amigos que estiveram em tour interminveis como o Kleber, Emerson, Johnny, Sansão e etc.

Neste ano teve um pouco de tudo, comidas gostosas (especialidade da nossa amiga Clau), muita conversa, roda de violão mostrando as músicas novas, e até uma oração ecumênica pra quem quisesse participar...kkkk Foi tudo ótimo, mas pra mim o ponto alto da noite deu-se depois do jantar, quando rolou um papo que seria lindo se não fosse sério. Ou vice-versa. De repente, não mais que de repente, surgiu uma conversa sobre amor, paixão, romance e outros sentimentos leves. Se meu amigo Renato estivesse presente, teria adorado. Vejam só.

Uma canção que uma amiga cantava dizia o seguinte: "a paixão é fugaz, um romance é pra sempre". Na verdade, não sei bem se era "um romance" ou "o romance", que no caso faria mais sentido. A partir daí, rolou uma discussão animada sobre o assunto.... Houve quem fosse partidário das paixões (Renato certamente seria). Houve quem dissesse que amor é chato, a paixão é que é o grande lance (compreensívelmente, a ala jovem). Eu me esforçava para explicar o que quis dizer o autor com "romance", que não é propriamente amor, nem paixão, é outra coisa. Mas o quê, exatamente? Quem explicou tudo foi o Edson que é de falar pouco, mas teve um grande insight nessa hora dizendo simplesmente o seguinte: romance é manutenção. Claro! Ele que ouvia no carro quando chegamos uma canção chamada "O Amor é Chama", prima do poema de Vinicius ('infinito enquanto dure...'), descobriu a pólvora. Manutenção, é isso.

A conversa me lembrou um casamento que estive onde o Pastor disse o seguinte aos noivos: "nunca se esqueçam de lustras as alianças e nuncam esqueças que marido e mulher não são parentes _ marido e mulher são amantes!" Pois é, taí o tal do romance, a manutenção do desejo, da admiração, do carinho, a continuidade da caminhada, sem que os dois se esqueçam em momento algum das razões pelas quais estão juntos.

Amizade num casamento (ou em qualquer tipo de relacionamento) é imprescindível. Mas não basta. A paixão acende o primeiro click, sempre. Mas é preciso ainda mais. Daí pra frente, há que se cuidar da manutenção. Romance, é lógico. Ou a plantinha seca, e a vida fica árida e sem graça. É ou não é?



Quero deixar aqui algo lindo que assisti a semanas atrás na minisérie "Capitu" baseado no livro do Machado de Assis. Uma cena linda com a musica do Beirut "Elephant Gun", uma dica do meu amigo Marcos Almeida...

Viva ! A Machodo de Assis, Viva ! a Luiz Fernando Carvalho !

Um comentário:

Yuri Steinhoff disse...

balançou!!!