Home
Quem Somos Contato O Anel
-

quinta-feira, dezembro 18, 2008

Artistas Gospel X MADONA


Eu já estava quase me conformando a passar este final de ano escrevendo sobre assuntos áridos como a truculencia da PM em SP, a crise mundial, a sapatada no Bush _ se bem que este é um assunto que pode ficar engraçado, da série 'seria cômico se não fosse trágico' _ quando fui salvo pelo comentário de uma amiga. A Katia fala em artistas Gospel que fazem "exigencias esdrúxulas", e isso bem na hora em que Madonna está no Brasil...kkkkk Esse é um assunto que não me quer calar, pois uma das minhas dificuldades em relação ao chamado estrelato é exatamente lidar com esse festival do ego, como já falei aqui várias vezes. Claro que algumas exigencias podem e devem ser feitas, em prol da segurança e do conforto do artista, e para isso existem nós produtores que organizam as turnês, garantindo em contrato que não cairemos em nenhuma roubada, que o hotel não será um Caílson qualquer, que seremos pagos direitinho e outras cositas más _ que, músicos, de fato não sabem como lidar com essas questões administrativas. Mas tem um pessoal que exagera...kkkk

Muitas vezes quem faz as exigencias não é o artista propriamente dito, mas seus representantes. Já vi isso acontecer diversas vezes e no gospel. De qualquer forma, difícil imaginar que a pessoa seja desligada a ponto de não saber o que se está aprontando em seu nome. Eu mesmo já vi uma migo demitir uma pessoa que trabalhava comigo porque as queixas se acumulavam em relação a seu (mau) trato com os demais. E era alguém de quem eu gostava bastante, mas impossível de trabalhar junto. É fato que o produtor não pode ser um eterno 'bonzinho', ou será tido por otário, e no final é o artista quem paga o pato. Sua função é sempre de bad cop, indo na frente e cuidando dos detalhes sórdidos, para que quem vai estar no palco possa se preocupar exclusivamente com o palco propriamente dito. Aliás, produção é um trabalho ingrato, quando aparece é sempre pelos problemas. Quando não aparece é porque está funcionando, o trem roda nos trilhos suavemente, e isso é que é o certo. Coitados de nós produtores.

Tenho amigos, que adoro no dia-a-dia, famosos pela quantidade de exigencias esdrúxulas, o que faz o contratante pensar duas, três, dez vezes quando precisa fazer algum trabalho com eles. Alguns têm de ter mais de 4 camarins para os 4 membros da banda, carro `a disposição 24 horas, 30 toalhas brancas de determinada marca (quantos banhos a pessoa irá tomar antes e depois do show?) , teleprompter alugado para quem não consegue se lembrar das próprias letras, banquinho com suporte para o pé na centimetragem exata, mapa do avião para ter certeza de que sua classe executiva é a mais executiva de todas, comidas especiais, `as vezes tudo isso junto. Sei de um caso onde a pessoa cancelou toda uma turnê já iniciada, porque não gostou do layout de um dos cartazes de uma serie de eventos, (depois dessa, sua produtora mudou de ramo). Nenhuma das pessoas acima encontra-se exatamente no patamar Madonna dentro do show-business: são, sem dúvida, artistas musicalmente especiais, que apenas seguem a máxima de Elis Regina, quando mandou redecorar o camarim do Canecão, que já tinha sido todo preparado para ela. "Mas está ótimo", disse um amigo, e ela: "eu sei, mas se eu não reclamar, ninguém me respeita".

Por isso fico feliz em trabalhar com os meninos do Palavra o Gerson, pessoas que que une o útil ao agradável e pede a produção apenas o realmente necessário. E vamos `a música, que é a diversão do negócio, muito mais do que o negócio da diversão.

Um comentário:

Yuri disse...

AEE!!!

Quando os artistas não querem um tipo só de ÁGUA!!! ou gastam 5 mil em remédios para dor de cabeça!!! WOOW!!!

Mas são heranças... e devem ser combatidas quando ocorrem no meio cristão, que não é nada, nada raro de acontecer!!!